terça-feira, 8 de abril de 2014

Como montar a sua mesa de doces?

Hellooooo psicoparties!!!

Como estão vocês???

Aqui, Graças à Deus tudo bem... mais duas festas lindas concretizadas e mais duas à caminho... Fotos assim que eu as conseguir... rs Os fotógrafos andam com as agendas lotadas... mas eu sou chata e insistente. Tô na cola!

Semana que vem começa a Convenção E-Balões, em SP, uma troca de ideias e conhecimentos riquíssima que sempre nos deixa com a cabeça à mil, repleta de novidades. Mas o escritório funcionará normalmente pois desta vez estamos igual em Hakuna Matata: "Our trio´s down to two!"  Clarissa ficará em Vix cuidando de Eduardo, da mamãe e da loja. Então usem e abusem dela, sem moderação!!!

Estou com uma festa linda pra mostrar pra vocês, com tema Fazendinha, mas antes gostaria de fazer este post que estou devendo faz bastante tempo para as nossas queridas clientes e também para as mamães Brasil afora que sempre entram aqui em busca de ideias.

A questão é: 
"Como montar uma mesa de doces?"

Que se desdobra em várias outras dúvidas:
"O que encomendar?"
"Que quantidade?"
"Doce caseiro ou personalizado?"
"Embrulhado ou solto?"
e, por fim... 

"Como arrumar isso tudo? Caso eu mesma vá decorar."

Antes de começar a responder estas perguntas, vamos fazer um mini flash back.

30 anos atrás, quando eu era pequena, minha mãe decorava a nossa "mesa de parabéns" com um bolo (sempre feito por ela), docinhos ao redor, muitas balas embrulhadas naquele papel crepom franjado e garrafas de refrigerante com umas roupinhas do tema (não sei onde ela conseguia aquilo). Tenho poucas fotos nossas aqui agora comigo, estão em casa... mas prometo que mostro mais pra vocês depois.

Aniversário da Clarissa de um aninho, com tema Ursinhos (viram como a moda vai e volta?). 


Esta outra imagem é do blog: http://asomadetodosafetos.blogspot.com.br/2013/04/festa-de-aniversario.html e ilustra bem o que eu disse.


Anos depois, começaram a surgir as primeiras decorações em Vitória, mamãe fazia todas as festas da Clarissa e foram aparecendo as toalhas de papel crepom, os balões coloridos, os painéis de camurça... mas os doces mais elaborados ainda eram os em formato de cogumelo, nega maluca, palhacinho...

A partir daí surgiram as mesas "maquetes" que eram verdadeiras cidades contando a história do tema escolhido. Lembro que não usávamos doces na decoração, estes (quando tinha) iam ao redor o bolo e só. Nos meados do ano de 2000 surgiram as mesas de guloseimas. Geralmente era uma mesa única, com jujubas, pirulitos, chocolates, etc... onde os convidados podiam se servir à vontade, sem ter que esperar a hora (do "pega-pra-capá" pós parabéns).

Olhem a festa do Jardim, em 2002, no Espaço Verde, eram 3 mesas, a decorada para o parabéns, a das lembranças e a das guloseimas. Ah, releiam o artigo onde contamos a evolução das decorações:


Em 2005 foi a estréia do "barco de guloseimas". Na festa da Clarice, no Espaço Verde.

  
E em 2006 transformamos o trem de presentes, em "trem de guloseimas".


Em 2007 fizemos a nossa primeira festa com mesa de doces na própria decoração. Foi a festa do João e Maria, no Fanfarra. A avó das crianças foi quem mandou fazer as mesas (que depois acabei comprando) e nem vasilhames eu tinha, era tudo dela. Festa do Bernardo e Marina, no Fanfarra.





E em 2008, fizemos a primeira decoração já pensando nos doces, a Bailarina Luiza, no Fanfarra. Já com 4 mesas de apoio para os doces.







Daí em diante os doces realmente caíram no gosto da galera e fomos adaptando todos os temas para melhor recebê-los e expô-los em locais de destaque que façam jus a sua beleza e delicadeza. 

A primeira festa que fizemos com mesas provençais foi da Camponesa, pra Maria, em 2010.



Mas mesmo nos adaptando aos pedidos das mães, jamais deixamos de lado o nosso estilo e nunca nos esquecemos da essência da festa infantil: a criança!!! É pra ela que pensamos cada decoração e assim sempre será. Por mais que a moda mude, o que não pode é transformar o evento infantil (com toda a sua mágica e alegria) em um evento de adulto (cheio de pompa e nenhuma substância). Sei que sou alvo de críticas venenosas pelo meu estilo de decorar e, principalmente, de pensar. Mas pretendo decorar todas as festas do meu sobrinho "pra ele" e deixar que aos 20 anos, sua noiva se realize em seu casamento e não agora, pra no casamento decorar o altar com tema de circo. Sou decoradora de festa infantil E PONTO FINAL!

Feito o "mega flash back" (parabéns pra você que ainda não desistiu) vamos voltar ao real motivo deste post:

"Como montar uma mesa de doces?"

75% das nossas clientes não sabem nem por onde começar, as outras 25% já fizeram festa antes, mas nem por isso, são isentas de certa insegurança. Será que tá bom, é pouco, é muito?
Por favor, não me deletem dos favoritos, nem me excluam do facebook, as informações à seguir podem gerar desconforto. Mas vamos lá: A minha opinião pessoal (eu Mary, enquanto decoradora e festeira) é:
1) Doces que a mãe encomenda são decorativos, o buffet deve se encarregar pelos doces para serem servidos. (Nunca mais serei indicada por nenhuma casa de festa, mas sorry, penso assim)

2) Doce demais gera desperdício. No dia do desmonte encontro cerca de 2% dos doces jogados no chão. Alguns mordidos, outros pisoteados, alguns inteiros que rolaram para debaixo de alguma mesa, atrás da bandeja, etc... Dos demais 98% posso chutar pela minha experiência pessoal que cerca de outros 2% vão para o lixo. Na hora da festa a gente não aguenta a gula e acaba levando mais do que come e fatalmente algum acaba esquecido dentro da geladeira, fica duro e sorry, lixeira.

3) Doce de menos fica feio. PAUSA DRAMÁTICA!!! Se você não quer encomendar doces basta escolher uma festa cenográfica que não precise de mesas pra ficar bonita. Ou se comunicar com o seu decorador para usar apenas a quantidade necessária de aparadores, mesas e estantes em função do que você encomendou e não o contrário.

4) Se você ama doces e discorda completamente de mim, sem problema, basta se comunicar com o seu decorador para passar a lista de tudo que você encomendou ou fez para que cada coisinha tenha o seu lugar garantido. Davi Vivas, Cleonice Caiado, Maria Júlia Littig, Fernanda Maia, Robertha Genelhu e tantas outras: AMO VOCÊS!!! Se você não fizer isso não poderá reclamar depois que tinha doce "entulhado".

Linda festa da Laura, com personalizados da Ateliê de Ideias by Mariana Merlo.

Linda festa do Lorenzo, filho de Dani Vivas.

Tá, tudo bem... mas afinal quantos doces eu devo encomendar???

Gosto de passar pras minhas clientes o número 700, para festas com até 150 pessoas (média de 100 adultos e 50 crianças). 700 somando tudo: pirulitos, docinhos, cup cakes, personalizados, etc. Esta quantidade pode ser extrapolada sem maiores problemas para 1000 itens dependendo sempre do tamanho de cada um deles. Lembre-se que 1000 BIS não ocupam o mesmo espaço de 1000 Batatas Pringles.

Como eu disse anteriormente, festas cenográficas não exigem a mesma quantidade de doces das festas mais clean, como por exemplo princesinhas, ursinhos marinheiros... porém, temos a opção de usar 2 mesas Provençais e mais um aparador por exemplo, ou encaixar mais duas mesas menores e criar um segundo andar quando há necessidade. Estantes também são excelentes soluções para lugares menores, pois criam espaços sobrepostos.

Definido que serão 700-1000 itens, o que fazer? Sugiro dividir esta quantidade mais ou menos assim:

DOCES ARTESANAIS

* 60 pirulitos (sendo entre 2 e 4 modelos diferentes que serão agrupados em conjuntos de 15)
* 30 cup cakes
* 250 docinhos temáticos (divididos em até 6 modelos)
* 30 barrinhas de chocolate com decoração
* 30 fudjes (adoro o formato quadradinho com aquele palito virado pra cima)
* 30 especialidades da sua doceira (algumas pessoas fazem biscoitos, outras cake pops, outra push cakes, tulipas recheadas, maçãs decoradas, pães-de-mel e um milhão de outras novidades, consulte!)

Total = 430 se não me perdi.


Maçãs decoradas e cake pops da Juci Freitas.






Pirulitos de porquinho de Núbia Rocha.

 

Doces da Severina Atelier e personalizados da Happy Design.


PERSONALIZADOS

Recomendo sempre 30 de cada modelo. A variedade é sempre muito melhor que a quantidade pois pra arrumar fica mais bonito. Caso você queira que um item específico seja entregue para cada convidado é preferível que ele fique sozinho em um local próximo às lembrancinhas e não misturados com os doces.
 
 

Marmitinha para as mães, da Scarp by Karla.

 

Personalizados da Happy Design.
 

Pães-de-mel recheados de Juci Freitas, dentro da caixinha da Scrap by Karla. Lembrança para as mães.


Uma lista coringa seria:

* 30 Batatas Pringles
* 30 tubetes
* 30 chocolates
* 30 caixinhas de acrílico ou papel
* 30 cones de papel
* 30 tic tac
* 30 caixinhas em formato diverso
* 30 garrafinhas de vidro
* 30 garrafinhas de água, suco ou refrigerante
* 30 embalagens com chiclete
* 30 latinhas

Total = 330 unidades

Lógico que você pode (e deve) modificar esta listinha de acordo com o seu fornecedor e as novidades que ele irá te oferecer. Ela serve apenas de base.



Caixinha da Scrap by Karla.


BISCUITS e BRINDES

Eu particularmente amo biscuit. Acho que eles fazem o papel de personagem na mesa e ainda servem como lembrancinha. Apesar de aparentemente mais caros, reparem que às vezes um doce modelado é mais caro do que um potinho com tampa decorada com biscuit que você pode encher com biscoitinhos, suspiros ou balinhas e o convidado irá encontrar uma utilidade pra ele depois.

Caso você opte por apenas um modelo, pote de vidro, por exemplo, vale variar os modelos. Para fazenda: vaca, galinha, porquinho, pato, etc... Mas caso você prefira fazer vários itens de biscuit sugiro escolher um personagem para cada item. Exemplo: Tubetes de vaquinhas, latinhas de porquinhos, baldinhos com galinhas, caixinhas com pintinhos... do que usar todos os personagens em todos os tipos de embalagens. Quando arrumados na mesa irão dar um equilíbrio melhor.

Biscuit da Mery Biscuit.

 
Caixinhas de ovos.

Melzinho.



DOCES CASEIROS

Em festa de fazendinha é comum vermos doce-de-leite, pé-de-moleque, geléias, etc. Mas nos outros temas as pessoas esquecem que podem encher as embalagens com doces menos industrializados como biscoitinhos, suspiros, palha-italiana, etc. Além de bonitos, são deliciosos e uma oportunidade de deixar aquela tia ou avó participar de alguma coisa na festa.




DOCES ABERTOS OU FECHADOS  

Antigamente todos os doces iam pra mesa abertos, para que cada um pudesse servir-se durante o evento. Mas hoje isso definitivamente mudou e os doces abertos acabam sobrando.

Caso o tema seja circo, parque ou outro onde eles tenha realmente sentido na decoração, não se esqueça de providenciar sacolinhas ou potinhos onde o convidado possa carregá-los.


Tome cuidado para alguns detalhes:

1) Tubetes. Cole sempre o adesivo ou faça os laços e detalhes de maneira que a tampa fique para baixo pois será utilizada para apoiar o tubo na mesa ou vasilha. Não faça mais de 40!!! Cuidado com as pontinhas embaixo das tampas, isso impede que ele fique em pé. Caso existam, corte previamente com estilete.

2) Latinhas. Cuidado: Elas abrem!!! Use uma etiqueta incolor ou pedaço de fita adesiva nas laterais para mantê-la fechada. Não compre aquela embalagem com 100!!!! Caso queria comprar em atacado, divida com uma amiga. Fica demais!!!

3) Caixinhas de acrílico. Mesmo cuidado anterior.

4) Cores. Tente padronizar cada item com uma cor ou personagem diferente. A arrumação fica mais harmoniosa do que um de cada cor. O inverso também não fica legal, como por exemplo, usar a mesma arte em todos os personalizados. Fica cansativo e monótono. Lógico que em festas mais pasteis você irá usar e abusar do rosa, por exemplo, mas procure variar os tons, os materiais, etc...

5) Toppers. Conte quantos você realmente irá precisar. Muitas vezes sobram ou faltam. Ou os modelos são tão variados que na hora de arrumar na mesa, não há combinação possível.

6) Forminhas. Não deixe para mudar forminha na hora. Entregue previamente para a doceira e mais uma vez, procure colocar todos os doces de um mesmo modelo na mesma forminha para criar um padrão de cores. Formas grandes ocuparão mais espaço e darão mais volume à mesa. Porém para doces que já são decorados, pode ser demais.

7) Doces com palitos. Muitas vezes, além dos pirulitos, o cliente encomenda biscoitos, cake pops, alfajours, etc, também no palito. Cuidado! Muitas vezes pode sobrar doce "suspenso" e faltar doce para vasilhas e bandejas. Eu aconselho a deixar nos palitos apenas o necessário. Avise ao seu decorador quantos itens precisarão ser espetados.

8) Tampas. Muitas vezes o laço ou detalhe da tampa não coincide com o adesivo do pote. Ou seja, ficam tortos. Imagino que o problema seja que durante o preparo, as tampas sejam separadas dos potes e quando são colocadas novamente a rosca não "bate". A solução (chata mais necessária) e conferir cada um deles ou deixar laços soltos de forma que possam ser girados durante a arrumação.

9) Copinhos de brigadeiro. Não passe de 60 unidades. Mesmo sendo um doce fácil de fazer e relativamente barato, encher a mesa com eles não faz volume e fica repetitivo. Tome os mesmos cuidados em relação às cores, como, por exemplo, fazer todos os chocolate brancos no copinho de uma cor e todos os de chocolate preto em outra. Mesmo que sobre na sua casa, 8 de uma cor e 12 da outra.

10) Tampa das garrafas de água e refrigerante. Algumas vem com preços na parte superior das tampas. Dá pra tampar facilmente com uma etiqueta adesiva.

11) Sacolas vazias. A ideia original é maneiríssima e eu adoro quando vou a uma festa que tem. Mas, de fato, algumas pessoas perdem a noção e fazem verdadeira "feira". Se você conhece bem seus convidados e acha que pode dar confusão, evite. Ou deixa-as guardadas e distribua apenas no final da festa. Cuidado para não esquecer!

E, por fim, como devo arrumar os doces?

Se você não vai contratar uma empresa de decoração, coloque a mão na massa.

Aqui na empresa temos hoje mais de 400 vasilhames diferentes para doces. Entre: MDFs temáticos, louças, acrílico, espelhos, palha, madeira, caixas forradas com tecidos, etc. E procuramos sempre utilizar material que o cliente não usou em uma festa anterior e, sempre que possível, específica para cada tema. Mas se você vai fazer em casa, existem empresas que locam material para festas ou pode forrar você mesma, algumas caixas e suas tampas para usar de apoio e depois utilizá-las no armário do seu filho.
    
Quando monto uma mesa de doces, primeiro distribuo todas as vasilhas na mesa. Ela precisa ficar bonita mesmo que vazia. Não gosto de mesa decorada só com os doces do cliente. Acho que além de pobre não destaca cada doce como ele merece já que ficam todos no mesmo plano.


 


Quando dispomos as vasilhas é preciso equilíbrio. Não necessariamente as peças precisam ser espelhadas, eu, inclusive, evito pares, prefiro trios. Acho mesa de doces com pares de peças opostas previsível demais. Entretanto, mesas únicas, retas e pequenas, com bolo no centro, pedem peças espelhadas. Procuro não montar mesas tão formais (não é casamento, lembram?). Utilizar brinquedos que sirvam como vasilhas de doces também é uma ótima solução pra quem vai comemorar em casa. Um trem, um caminhão... vira facilmente uma bandeja. Um carrinho de boneca, idem... Um armário da Barbie pode virar uma estante para doces, uma cx de brinquedos virada de ponta cabeça vira porta-lembrança... use a sua criatividade!!!



 

Um bom exemplo de desequilíbrio é a mesa em escada. Quando todas as peças vão diminuindo de tamanho pra um ou outro lado. Tente mesclar peças altas e baixas e lógico, as mais baixas na frente. É muito fácil. Basta imaginar uma balança. Não pode pesar nem para um lado, nem para o outro.


 Na hora de colocar os doces, evite o sistema "mercadinho" ou "paredão de fuzilamento" como falo com meus funcionários. Fuja também do sistema: "galinha-gorda".

Vou explicar, é colocar todos os itens de um mesmo modelo alinhadinhos... Faça grupos, crie movimento... Galinha gorda é quando você joga pra cima e do jeito que cair fica. ODEEEEEEEIO!

Pense em uma imagem bagunçada, que você olha mais nada vê. Esse é o efeito final. Um caos!


 Laços alinhadinhos, virados todos para o mesmo lado, colheres idem. Na pressa, confesso, já passaram alguns desapercebidos e quando vi na foto quase infartei de vergonha.

Falando em pressa. Aqui fica a mais preciosa de todas as dicas:

É PRECISO TEMPO PARA ARRUMAR OS DOCES.

   Não adianta fazer isso correndo... é necessário pensar onde cada item ficará melhor e muitas vezes refazer. E isso só é possível quando todos os itens estão disponíveis cedo. Por isso que a gente pega tanto no pé das doceiras e fornecedores. Não adianta que a festa fique bonita, ela precisa ficar PERFEITA!!!

Espero que tenham gostado do post e que ele lhes sirva como base pra realizarem suas festas.

Precisando de ajuda, estamos à disposição.

Bjk,
Mary

Obs.: Os gráficos e dados utilizados aqui são de minha autoria e total responsabilidade. Não estou seguindo conceitos nem regras. São simplesmente a minha opinião.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Circo do Rafa

Bom dia Psicoparies queridos!!!

Como estão vocês???

Nosso post de hoje tem duas partes.

_______________________________________________

A primeira um desabafo...

Eu ando meio chata... sabem quando nem a gente se aguenta??? Desse modelo...

Olho pros lados e não me encaixo... as conversas dos amigos não me prendem (aliás, ouvi várias reclamações este findi... que ando longeeee), entro no face e saio irritada com tanta bobagem que eu leio... a impressão que eu tenho é que o mundo enlouqueceu (ou eu pirei de vez... vai saber). Ler que a mulher tem culpa por ser atacada, que mais um político meteu a mão na grana pública, que outro pai molestou o próprio filho, que mais uma escola não tem nem cadeira decente... isso tudo vai deixando a gente muito, muito deprimido, decepcionado e desgostoso... Às vezes penso que estou no planeta errado... ninguém diz por favor, nem muito obrigado, desculpa então? nem sabem pra que serve essa palavra... as pessoas são incapazes de dar uma informação sem querer algo em troca, aliás troca é algo que as pessoas têm praticado muito... trocam de cara, trocam de amigos, trocam de lugar nos cursos... de alunos viram mestres... Mestres de que? De falta de noção, de falta de ética, de falta de educação... E eu, pra não parecer arrogante vou me escondendo atrás desta máscara, embaixo de muito pó e rímel... enfiando a cara no Candy Crush... pra quem sabe minha vida ficar tão doce quanto aqueles brigadeiros... Me resta o mundo mágico das crianças, da fantasia e do mundo do faz-de-conta... coisa que tenho me dedicado dia após dia... e que me deixa feliz :-) Uma cliente me perguntou semana passada: "Mary, com tantos problemas que vc tem enfrentado, como consegue continuar a fazer estas festas tão lindas?"

Respondi: "Por que eu amo o meu trabalho, cada calo no meu dedo, cada gota de suor que escorre... lava a minha alma, me enche de alegria e me faz esquecer os '50 tons de cinza' da vida real!!!"

Um brinde à vida, à infância, ao amor... e que Deus tenha misericórdia das nossas almas!

_____________________________________

A segunda, a festa linda do Rafa que fizemos no finalzinho de 2013. 

Rê (Renata), me desculpe por atrelar a bela festa do Rafa ao meu post mal-humorado acima, mas acredito que nada melhor do que uma festa de Circo pra alegrar este post e a pessoa perfeita é o Diogo Loureiro para ilustrar toda a poesia e felicidade que é o momento de receber os amigos para comemorar o primeiro aninho de um filho.

Obrigada por nos escolher e por mudar até o tema da festa pra comemorar conosco.

Bj no coração e até semana que vem.

Mary

Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita


Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!

Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita


Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!

Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita


E a vida
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida de um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!


E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão


Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo


Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor


Você diz que é luta e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer


Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser

Sempre desejada

Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte

E a pergunta roda
E a cabeça agita


Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita


Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!

Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita


(O que é, o que é?
Gozaguinha)