terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Dilemas da profissão e capa de revista!

Boa tarde "Psicoparties" de plantão!

Como eu disse ontem, tenho uma série de posts atrasados, coisas bacanas que eu queria mostrar para vocês... então este post é duplo.

Primeiramente gostaria de compartilhar com vocês a última Revista Festa e Cia de SP, que em sua edição Nacional trás a nossa festa das Bonecas e Ursas na capa. Super orgulho pra nós, que de Vitória - ES conseguimos chamar a atenção em um dos Estados mais ricos em festas infantis de todo o Brasil.





Sim, para quem não sabe, Vitória possui 330.526 habitantes, mantendo a 25º posição em população/capitais brasileiras. Enquanto SP é a primeira, com 11.316.149 habitantes. Sem querer comparar alhos com bugalhos, me deixa imensamente feliz que uma revista de SP possa se interessar e admirar o nosso trabalho. Principalmente sabendo que alguns conterrâneos não nos dão todo este valor. Fazer o que? Casa de ferreiro, espeto de pau. Não é mesmo? Não dá para querer agradar todo mundo... mas eu bem que queria... ah queria :-)

A segunda coisa que eu queria falar (ou melhor, escrever) era sobre a escolha da profissão: "Decorador de Festa Infantil". Este assunto vem martelando na minha cabeça já há alguns anos pois recebo dezenas de e-mails sobre isso. São mulheres (em sua maioria esmagadora) que amam festas, decorações... e que sonham em um dia largar tudo e iniciar a carreira.

O último e-mail que recebi foi de uma amiga de MG e ao invés de respondê-la em PVT resolvi responder aqui no blog. Ela disse o seguinte:

Olá Mary (se é que posso te chamar assim rsrs),
Gosto muuuuuito do seu trabalho (acompanho através do blog) e a cada dia me apaixono mais por festas infantis. Quero abrir um negócio para mim de decoração de festa infantil, mas meu marido não gostou muito da ideia. Disse que não é viável, trabalha muito, ... e enfim não quer de forma alguma que eu trabalhe com isso. Gostaria se possível que me falasse um pouco sobre o trabalho... seus ônus e bônus.. se preferir posso te ligar (queria um feedback seu), pois já trabalha com isso há tanto tempo. E de coração, espero que me retorne, pois é de verdade que estou te pedindo um auxílio. Moro em XXXX-MG e até cheguei a fazer pesquisas com clientes, fornecedores, concorrentes... e também fui no SEBRAE, mas desisti da ideia quando fui falar com meu esposo. Mas acho que não posso desistir do meu sonho e nem da minha vida profissional. Vou muito em Guarapari (meu tio tem uma casa lá) e fui até Vila Velha , mas não fui em Vitória ainda (pois não conhecia seu blog), senão teria ido até sua loja para conhecer um pouco do seu trabalho e falar contigo pessoalmente. Mas não vai faltar oportunidade (espero eu!!!). Parabéns de verdade e que Deus continue te abençoando. Ahhh e espero seu contato... Bjo. XXXX – Uberlandia-MG
Não poderia deixar de escrever: li tudinho do vale a pena ver de novo e não deu pra dormir não rsrsrs, pelo contrário, motivou ainda mais abrir meu próprio negócio... Parabéns! Pelo que a gente lê no blog, dá para perceber que vc é apaixonada mesmo por festinhas infantis.... Muito bacana isso... Parabéns de novo!!!!
Não citei o nome dela, nem a cidade pq não consegui contatá-la a tempo para pedir sua autorização. Ok? Mas depois ela mesma se identifica aqui pelo blog.

Bom, respondendo a sua pergunta, eu preciso voltar no tempo... bastante... Minha mãe começou fazendo as festas da minha irmã (1986), depois fez as festas dos filhos dos vizinhos do prédio, de amigos, parentes de amigos e por ai foi indo. Alugou um quartinho para guardar as coisas que ia amontoando em casa, passou para um cômodo maior e nesta época fazia tudo ela mesma e dentro do apartamento. Até o cachorro era colorido e meu pai ia para o trabalho cheio de purpurina. Eu acompanhava tudo de perto, ajudava aqui e ali e ia seguindo com os estudos. Em 1995 eu entrei pra faculdade de Biologia e no mesmo ano minha mãe com a ajuda financeira do meu pai abriu a primeira loja Sonho de Criança. Tudo "chiquemente" transportado em uma "Caravan cor de chocolate". Na faculdade eu fiz estágio no IBAMA, outro em uma empresa de consultoria, fui guia de Bird Watchers e até publiquei trabalhos científicos com aves (olha que coisa). E o mais importante que aconteceu na minha vida: conheci meu marido (e hoje sócio). Continuando... em 2000 eu me formei e logo em seguida tive uma grande decepção profissional. Me aborreci tanto que larguei tudo e fui ajudar os meus pais na loja, desta vez profissionalmente.

A partir daí, assumi a parte de atendimento e gerenciamento enquanto mamãe e papai ficaram na parte de produção das festas. Contei com a ajuda da minha irmã (hoje sócia e super fera) e tocamos outras ideias, produzindo lembranças, convites e enfeites de mesas. Nesta mesma época conheci o GBA (Grupo Balonismo Artístico) e comecei a inventar coisinhas de balões e me apaixonei. Fiquei amiga de vários profissionais de renome que com a maior paciência do universo me ensinaram muito do sei hoje e a eles serei grata eternamente: Eduardo Seiti, Regina dos Anjos, Luiz Carlos, Dante, Etsu e muitos outros que fui conhecendo depois... Após muitos anos de GBA participamos pela primeira vez de um evento da área de balões em Curitiba, o Ideias Gigantes, e neste dia eu tive certeza que estava no caminho certo pelo carinho que recebi de colegas da profissão e daqueles meus ídolos que antes eu só conhecia virtualmente.

Neste meio tempo, minha mãe fez uma cirurgia e afastou-se definitivamente da loja e a equipe foi crescendo cada vez mais. Primeiro com amigos que generosamente iam nos ajudar em seus dias de folga, até o atual marido da minha irmã nos ajudou uma época... Alguns anos depois, meu amado pai ficou doente e como não tínhamos mais nenhum amigo disponível (risos) precisamos realmente contratar pessoas "de fora". Pra mim essa é a parte mais difícil do negócio, gerenciar pessoas... Enquanto o trabalho é familiar é de um jeito mas quando você precisa profissionalizar a equipe os custos triplicam e a dor de cabeça segue o mesmo passo até você conseguir montar uma equipe de confiança e comprometida que hoje temos, graças à Deus.

Então, para quem quer começar o próprio negócio, aconselho fazer pesquisas de mercado, vendo se a sua cidade comporta realmente o seu empreendimento. Fazer um cálculo de quanto vai precisar faturar para bancar todos os custos, fixos e flutuantes inerentes ao negócio (o Sebrae tem curso on line desse assunto). Fazer um apanhado de custo de produção de festas, valor de locação, capital de giro, etc.Visitar feiras e cursos da área. Enfim, reunir a maior quantidade de informações possíveis antes de tomar uma decisão.

Agora, o principal de tudo, você precisa gostar, amar, ser apaixonada e meio DOIDA. Por que quem na face da Terra vai gostar de passar o sábado no meio do pó de balão? Com o cabelo duro de tanta poeira, um calor de assar frango, subindo e descendo escada, carregando peso, comendo sanduba no almoço.... Além disso, é muito, muito difícil ser a única da família nesta área. Sem o apoio total e incondicional do marido/namorado/companheiro é IMPOSSÍVEL. Na minha singela opinião. A pressão da família e amigos é absurda: "Como assim você não vai ao meu noivado às 13h no sábado?" Não adianta mentir pra vocês. As pessoas não vão entender!

Financeiramente, é um trabalho viável. Mas não conheço ninguém que tenha ficado rico com festas (deve existir alguém, mas eu desconheço). Se você for um bom administrador, dá lucro. Mas a concorrência é feita de 90% de pessoas que não leram aquele capítulo sobre a "Viabilidade Financeira" e vão praticar preços que você jamais conseguirá cobrir. Ou, se cobrir, poderá ser um tiro no próprio pé. Ética então, vale ouro, é difícil encontrar por aqui. É um querendo engolir o outro. Mais uma triste verdade no mundo encantado das festas infantis. Incoerente não é?

Bom, então resumindo... eu, minha irmã e meu marido vivemos de festas, a Sonho de Criança dá emprego direto e formal a 3 funcionários fixos e indiretamente contribui para o sustento de muitas outras pessoas envolvidas. Sou completamente louca por festas, não sei viver sem isso e sou feliz!

Se você sofre da mesma doideira que a minha, bóra pro clubinho!

Se você já é doida e decoradora, conta sua história pra nós. É só comentar!!!!

Bjão,
Mary

10 comentários:

Brinque Fest disse...

Observações extras:
Após 1 ou 2 anos que você vai ralar sozinha, fazer permuta, trabalhar de graça para mostrar sua capacidade ao mercado e aos familiares, você vai conseguir atigir o sucesso. E SIM depois de tanto esforço vai lhe faltar tempo e a primeira coisa que você vai ouvir das pessoas que você "acha" que são seus amigos é: - Agora que ta rica não tem tempo para os amigos... Agora que ta ficando Famosa, ta se achando!!!! rs!!! OSSOS DO OFICIO

neila disse...

Nossaaa vi tanto em comum agora, quando li o que vc postou....sou sua fã, adorooooo ver seu trabalho, e cá entre nós vc nos dá muitaaa inspiração.
Mas infelizmente mts pessoas trabalham assim, querendo ganhar no preço, será que não percebem que cavam seu próprio buraco e um dia terão que entrar lá.
È verdade, temos que ser loucas p viver essa vida doida, ficar até de madrugada pk a inspiração p aquele orçamento surgiu naquele momento, affff que ofício....ahhhh tbém é verdade é fundamental ter um companheiro que está pronto a nos ajudar, kkkkk eita abençoado marido, carrega caixa, puxa mesa...
Enfim colega, esse nosso mundo apesar de alguns desabores, ele é feito de sonhos que podem se tornar reais, e é muito bom nós termos essa capacidade de poder realizá-los.
Um grande beijo, sou sua fã
Neila/Pr.

Virna disse...

Mary,

já pensou em ser escritora também?? Quem sabe quando vc já não conseguir mais carregar caixas...poderá escrever um livro sobre sua vida. Deve haver muitas histórias para contar...
bjs
Virna

Catavento Festas disse...

Mary,

Além de cabelo duro, suor pingando, quantas vezes você ja não pensou em ir no banheiro e volta e meia foi arrumar algo que estava fora do lugar e simplesmente deixou de ir fazer "xixi" porque o tempo foi passando, passando e passando.....E ai, só se da conta quando terminou tudo que tinha pra fazer...to mentindo?
Ajuda de marido, namorado ou companheiro seja lá o que for é importante demais....O meu marido não gosta desta area, mas quando o bicho pega ele sempre me ajuda e muito....
Quando mostramos as fotos de tudo pronto, parece que você fez tudo aquilo num piscar de olhos, mas não decoramos somente o dia da festa...São tecidos para passar, balões (e olha que as vezes não são poucos)para inflar, muitos detalhes que surgem de ultima hora....então a colega que quer entrar para o mundo magico das festas infantis (isso daria um nome de loja)é preciso de verdade,como a Mary disse, se preparar, pois a concorrência em 95% das vezes tenta te engolir...
Mas tem que ser doida também...eu por exemplo deixei um cargo na area financeira para trabalhar com festas....Na primeira festa que montei quase desisti, e pensei que eu havia feito a maior besteira do mundo (ja contei isso pra Mary)...pensei, que loucura eu fiz meu deus?, deixei salario fixo, plano de saúde entre outras coisas....Mas quer saber?....Eu faria tudo outra vez...
Ano passado conheci a Mary, claro por email...e ela foi simpatississima comigo, como eu acredito que ela é com todos...Foi ela que me inspirou em ir no meu 1º Ideías Gigantes, (e lá a conheci pessoalmente) e fui com a certeza que estava fazendo a coisa certa, e realmente foi...buscar aperfeiçoamento é fundamental.....Então colega, bola frente e como disse a Mary, bóra entrar para o clubinho....

Bjs, Mary...

Alessandra Oliveira
Catavento Festas Infantis
www.cataventofestas.blogspot.com

fofa disse...

Mariana,Voce disse tudo...Tem que pensar bem antes de montar uma empresa de festas,as vezes as pessoas pensam que so gostar de festas e tudo.Nao sabem da missa a metade!Amei o Post e mais uma vez Parabens pelas festas espetaculares!Bjs, Fofa.

Adriana disse...

Enviei o e-mail para a Mary, pois queria saber um pouco de sua trajetória (apesar de já saber um pouquinho através do blog). E achei muuuuuuito bacana ela ter respondido (a hora que eu vi, nem acreditei... estou rindo aki sozinha até agora, parecendo maluca...). Na verdade estou pesquisando muito e descobri uma faculdade que eles ajudam as pessoas a montarem um “plano de negócio” e já solicitei o orçamento para realmente criá-lo. E depois de pronto irei avaliar financeiramente se vale a pena montar ou não (pois quanto ao ônus da profissão, acredito que a felicidade de ver a festa pronta e receber elogios, apaga qualquer cansaço que tenhamos tido) . Quanto ao meu esposo já falei com ele e disse que se eu montar primeiramente o plano de negócio e for viável irá me apoiar (que sonho né... que nada... é Deus que está encaminhando). Pessoal, se tudo der certo mesmo, até no final do ano estarei com muitas novidades e progressos. Mary, novamente muito obrigada pelo retorno, não sabe o quanto é importante para mim ter opiniões de profissionais igual a vc. Sou Adriana de Uberlândia-MG que enviou o e-mail para Mary. Bjim a todos!

~*JuJu DiVa*~ disse...

Embora eu não seja da área de decoração de festas, me identifiquei com o post porque eu sou doida pra montar meu próprio negócio, porém faltam apoio$ sabe como é né?
Meu pai, que sempre trabalhou em indústria, acha que trabalho de verdade tem que ter carteira assinada, plano de saúde, bater ponto, etc. Ele nunca concordou comigo quando demonstrei interesse em ser autônoma. Meu namorado, embora seja autônomo, não concorda com meu grande sonho de ter meu próprio negócio e ser chefe de mim pois acha que é arriscado demais investir tanto dinheiro.
Eu já sou do tipo que pensa o seguinte: apoio, nem que seja só moral, é sempre bem-vindo, óbvio, mas se você tem uma idéia, um sonho, tem talento e condições de ivnestir niss, VÁ FUDNO! corra atrás do seu sonho e seja feliz!
Eu agora estou atuando na minha área, que é Turismo, trabalho em hotel, mas nas horas vagas faço cupcakes, bombons e doçinhos, que é o que quero fazer dpois de formada: atuar na área de confeitaria e doceria.
Tô no hotel só pra poder pagar os cursos que preciso fazer e juntar uma grana pra poder investir no meu futuro negocio.
Bjsss

Deny Artes e Balões disse...

olá Mary muito bonita sua historia nesse mundo doido de festas infantis,nossa sou apaixonada por festas,sei que a concorrencia é as vezes um pouco ou um tanto inconviniente,sendo desleal,mais pra quem trabalha por amor ao q faz não leva em conta,amo o que faço,trabalhei ensinando em escola particular,sempre gostei de fazer trabalhos pra meus alunos,acho que essa paixão já vem de criança kkkkk,parei de ensinar devido ao nascimento do meu 1° filho q nasceu com estretamento no esôfago,ai tive que cuidar dele durante um ano sem sair pra trabalhar fora,comecei a fazer trabalhos manuais em casa e qd ele fez um ano fiz tudo e comecei a gostar e 2 anos depois comecei realmente com festas infantis,com muita dedicação,agradeço a Deus por tudo que tenho hj na minha loja,com muito sacrifio consegui montar uma pequena loja,como vc mesma disse quero conhecer alguem que tenha enricado com festas infantis,depois que participei de meu 1° seminário de balões com os melhores instrutores do Brasil,só não tive ainda a oportunidade de conhecer a Regina dos Anjos,mais se for da vontade de Deus ainda a conhecerei,aprendi muito com os instrutores Seiti,Wilson,Dante,Rita Magalhães,Willian,San Silva ,Vera Portela e o saudoso Ricardo Rodrigues ,ah e não poderia de esquecer da minha madrinha Hortensia Riccio que me ajudou muito me dando a oportunidade de participar do 1° seminário de balões em Salvador,vou fazer 21 anos que trabalho com festas infantis,sofro pra caramba mais como disse amo o que faço,não tenho a estrutura que vc tem mais o pouco que já conquistei foi tudo adquirido com o que faço com carinho,e luto cada dia com a ajuda de Deus e a compreensão do esposo e filhos que com muito carinho me ajudam,parabéns pelo seu trabalho muito lindo,Deus te abençõe. ricamente,bjs ,serei sua seguidora.

BEBE PYKENA LIBÉLULA disse...

NOSSA! ME SINTO TÃO FELIZ COM O RECONHECIMENTO DO TRABALHO DE VOCÊS QUE ATÉ PARECE QUE É COMIGO. SOU FÃ DE VCS PARABÉNS! VCS MERECEM ISSO E MUITO MAIS, DEUS OS ABENÇOE SEMPRE!

SCHIRLEY PASSOS disse...

Boa Tarde!

Mary,
Sonho em começar meu próprio negócio (Decoração Infantil), confesso que estou muito animada mas com os pés no chão. Francamente não sei se é pensar pequeno mas gostaria de atender famílias que queiram fazer mini festas, algo em casa ou em salão de festas,que não exija mega produções, mas que seja um serviço que fique financeiramente bom pra mim e pra eles. Gostaria de alguns conselhos...quero trabalhar com estilo clean, desde já agradeço pelo espaço.
Att,
Schirley Passos
Aracruz/ES